2016-01-06_truques-de-linguagem-corporal

As etapas para um bom desempenho em uma entrevista de emprego são variadas, mas existem alguns componentes fatais que permanecem inconscientes para a maioria das pessoas neste encontro, como a imagem transmitida por meio da linguagem corporal.

Leia também:
» 5 histórias inspiradoras para começar o ano
» Como fazer uma análise de performance das suas candidaturas
» Como são avaliadas as dinâmicas de grupo

O primeiro contato entre o recrutador e o candidato é quase sempre um aperto de mão. A partir daí conseguimos ter uma percepção de como será o andamento da entrevista, ou seja, este é um dos primeiros e mais importantes elementos que deve ”entrosar” no quesito empatia.

É natural que o nervosismo seja provocado pela situação da entrevista, além do mais são inúmeras as perguntas que devem ser respondidas de uma forma espontânea, sem muitos rodeios e com a versão mais sincera possível, então, é onde entra o jogo de cintura, e tentar evitar ao máximo algumas gafes indesejáveis sem ter que sacrificar o seu jeito de ser.

O importante é ter consciência de que alguns gestos e posições na hora da entrevista tendem a representar a sua postura, pois o nosso corpo projeta nossas emoções, inseguranças e pensamentos. Muitas vezes, de uma forma inconsciente nossas articulações, sobrancelhas, braços e a forma que sentamos refletem aquilo que passa dentro da nossa cabeça.

Por isso, é essencial dar atenção para a linguagem corporal que você está transmitindo. Veja cinco ações posturais que servirão como alicerce na sua linguagem corporal:

1. APRESENTAÇÃO

A empatia consiste em semelhanças, todavia é aconselhável apertar a mão do recrutador da mesma maneira como ele aperta a sua, pois usar a mesma intensidade de cumprimento mostra que você está se espelhando nele e não tem a intenção de sair atropelando o andamento das coisas.

Contudo, um aperto de mão mais forte pode sinalizar uma atitude de dominação em relação ao encontro, então, é necessário mensurar para que tipo de vaga ou posição você está concorrendo, pois cada perfil tem um perfil esperado.

Para finalizar o encontro procure não manter uma relação intensa. Outro aperto de mão no encerramento da conversa é suficiente para demonstrar educação, respeito e interesse pela oportunidade oferecida. Sempre olhando nos olhos. Arrume os seus pertences com calma, pois se você agir desesperadamente pode dar a impressão de que quer fugir logo da situação, e saia da sala confiante despedindo-se com um sorriso simpático.

2. POSTURA

Os recrutadores na maioria das vezes julgam os candidatos pelos primeiros 15 segundos que lhe conhecem, portanto, você deve entrar e apresentar-se com a postura correta, recomenda-se posicionar os ombros para trás. Você deverá caminhar diretamente ao recrutador e jamais em direção da cadeira até que ele lhe ofereça o lugar para sentar.

Ao sentar-se, mantenha-se firme em linha reta e use a parte de trás de sua cadeira para encostar suas costas, assim conseguirá atrair uma posição e ficar confortável. Permaneça com a coluna ereta enquanto você estiver sentado e o ideal é inclinar-se na direção do recrutador, pois esta postura denota equilíbrio e interesse pelos assuntos abordados.

Evite agarrar os braços da cadeira, segurar bolsas, casacos, pastas, agenda, caderno ou qualquer outro objeto em suas mãos, porque pode transmitir ansiedade, tensão e insegurança.

3. CONTATO VISUAL

O contato visual é outro fator muito importante. Procure olhar diretamente para o entrevistador, mas também não precisa ser algo fixo. As pessoas frequentemente cometem o erro de achar que manter um bom contato visual é nunca tirar os olhos do recrutador, mas isso também pode ser negativo, pois é natural olhar para os lados de vez em quando, enquanto você fala ou tenta lembrar de alguma situação.

Tente encará-lo da mesma forma quando ele olhar profundamente para você, mas, tente mirar em vários pontos do rosto de recrutador também, pois é fundamental que você não passe a entrevista igual um ”rôbo hipnotizado”. Relaxe os olhos evitando olhares cabisbaixos nos quais demonstram timidez, assim como para cima pois representam indecisão, discordância e/ou insatisfação.

Caso houver mais do que um recrutador te entrevistando, é importante distribuir o contato visual de maneira igual para cada um. Responda para cada pessoa individualmente mantendo contato visual com ela quando estiver falando.

4. GESTOS

Gesticular enquanto fala é normal. É, inclusive, aconselhável caso acrescentem expressividade à sua fala, embora o cuidado seja essencial para transmitir confiança. Faça isso na dose certa para eliminar possíveis hábitos que denotem nervosismo.

No momento da entrevista, evite mexer no celular (isso é bom senso!), morder a ponta da caneta, olhar no relógio, brincar com colares, pulseiras e até mesmo roer as unhas, pois essas ações são notavelmente percebidas como insegurança e ansiedade.

Portanto, relaxe as suas mãos, elas precisam ficar totalmente paradas durante a entrevista, uma vez que gesticular demais pode tirar a atenção do recrutador sobre a sua fala e passar a ideia que você é uma pessoa pouco serena e sim muito afobada.

Em contra partida, jamais cruze os braços, porque além de denotar impaciência pode dar uma impressão que você tem a intensão de se defender do outro, como um escudo.

Não se esqueça de mover a cabeça moderadamente, fazendo movimentos discretos de concordância, refletindo que esta super interessado e gostando da entrevista, demostrando que entende tudo que o recrutador está dizendo. Atente-se para elevar o seu queixo, o ideal é que ele fique na posição horizontal, paralelo ao chão. Pois, se você ficar com a cabeça inclinada para baixo, pode transmitir cansaço e até mesmo desânimo.

Na expressão facial, as sobrancelhas tendem a revelar informações, ou seja, quando um questionamento é positivo elas costumam estar arqueadas, transmitindo interesse. Já quando o assunto ou pergunta é negativo, as sobrancelhas aparentam estar franzidas, mas cuidado que isso pode significar também dúvida ou falta de compreensão. A melhor manteira de eliminar uma reação involuntária é evitar caretas, cara de surpresa, susto, medo ou animação exagerada.

Não cruze os joelhos e sim os tornozelos, mantendo os pés no chão, porque isso lhe permitirá atender com facilidade respostas complexas, criativas ou racionais. Evite sentar de pernas abertas e balançar os pés, pois certamente demostrará inquietude.

5. ENTUSIASMO

O controle do entusiamo também é uma atitude fundamental na linguagem corporal para uma entrevista de emprego. Portanto, mostrar muita empolgação, intimidade, risadas ou contentamentos excessivos e perguntas irrelevantes podem destruir a sua performance.

A entrevista é um momento que requer controle e calma, pois representa uma oportunidade de tratar sobre a sua experiência profissional e conhecer as propostas da empresa. Certifique-se que você não está invadindo o espaço do recrutador, pois você pode até criar certo desconforto barrando perguntas pertinentes que poderão ser favoráveis à você.

Normalmente quando ficamos nervosos, ansiosos ou eufóricos demais, começamos a respirar mais aceleradamente. E isso também pode arruinar a conversa, pois irá reduzir a sua capacidade de pensar com clareza e demorar para fornecer respostas com precisão.

Por isso, tente respirar profundamente, pois isso vai te manter energizado, confiante e com a mente em alerta.

Mesmo que o recrutador te dê toda a abertura do mundo, tente distinguir as situações e não comporta-se como um amigo pessoal. Trace os seus limites, pois equilíbrio emocional no momento da entrevista é a chave do sucesso e certamente te fará fisgar a oferta de trabalho.

O que vale ressaltar é que, não importa qual a nossa origem cultural, todos nós temos consciência ou pelo menos alguma percepção inconsciente, de que temos quatro espaços bem definidos a nossa volta: a social, a pública, a pessoal e a íntima.

E não se esqueça: o corpo fala.

DEIXE UM COMENTÁRIO