8 segredos dos caçadores de emprego

2015-08-13_caçador-de-trampo2

Por que algumas pessoas parecem subir, sem esforço, a escada da carreira? Eles sempre sabem como impressionar durante a entrevista e têm a capacidade de conseguir aquela posição privilegiada mesmo antes dela ser divulgada. Qual é o segredo?

Leia também:
» As perguntas mais difíceis que a Apple faz nas entrevistas
» 5 dicas para melhorar seu desempenho no trabalho em equipe
» Infográfico: como iniciar na carreira de freelancer

De acordo com os autores de Fearless Job Hunting: Powerful Psychological Strategies for Getting the Job You Want, estas são pessoas que dominaram a arte da caça ao emprego não só aprimorando suas habilidades, mas também construindo uma resistência psicológica para suportar processos que são, ocasionalmente, devastadores.

Confira as dicas de Bill Knaus, psicólogo especializado em seleção de pessoal, e Russel Grieger, psicólogo e consultor organizacional:

2015-08-13_caçador-de-trampo1

1. Eles realçam o lado positivo

É fácil se menosprezar após ter sido rejeitado para um emprego dos sonhos, dizendo a si mesmo que é um fracasso ou que você não tem o que é preciso para ter sucesso. De acordo com Grieger, isso ocorre porque, para muitas pessoas, a auto-estima gira em torno de suas carreiras. Porém, há maneiras de sair dessa negatividade e abordar o processo de um modo mais destemido.

Primeiro, pergunte a si mesmo se o que está pensando é lógico — e se isso vai te levar a algum lugar. Em seguida, vire a página e diga a si mesmo: “Isto será difícil, mas eu consigo” ou “Realizei muitas coisas na vida e sou totalmente capaz de fazer isso”. Mesmo que sua perspectiva de carreira não dê certo, não aceite esse fato como o fim de tudo. Em vez disso, pense consigo mesmo: “Se eu falhar, não quer dizer que minha vida toda é um fracasso”.

Finalmente, motive a si mesmo escrevendo uma lista com suas melhores qualidades, assim como profissional, e leia em voz alta. Isso ajudará a melhorar sua confiança — e vai te manter motivado durante a busca por um emprego.

2. Eles identificam suas inseguranças

Quando você passa por situações difíceis, em outros momentos, se estressará menos. Identifique o que pode ser a causa (ou causas) da sua insegurança e, então, livre-se de qualquer peso que tenha nas costas. Se você tem receio que seu currículo está abaixo do nível, peça a um mentor que o critique. Se estiver incerto do que dizer na entrevista, pratique com um amigo e filme o ensaio para que possa revisar e melhorar sua apresentação.

3. Eles têm paixão e propósito

Há muitas maneiras diferentes de se pensar sobre trabalho. Para algumas pessoas, é um jeito simples de por pão na mesa. Mas caçadores audaciosos enxergam seu horário de trabalho como uma expressão do seu propósito de vida.

Se você nunca considerou a importância de sua carreira, aqui vai uma dica para começar: pergunte-se qual a verdadeira razão de estar aqui e que tipo de trabalho pode te ajudar a alcançar essa meta.

Quando pensar sobre sua carreira dessa maneira, diz Grieger, a procura por emprego se torna uma experiência menos desgastante, mais excitante e profundamente satisfatória. A caça não será uma tarefa árdua a ser adiada, mas uma oportunidade que você não pode esperar para tirar vantagem. Além disso, você vai otimizar sua busca por se concentrar, exclusivamente, em posições que te ajudem a expressar seu propósito.

4. Eles se tornam “à prova de pressão”

Candidatos bem sucedidos são pacientes, persistentes e resilientes. “Eles enxergam a procura por um trabalho como um processo, não em evento”, afirma Knaus. Além disso, costumam ter ampla tolerância a frustração.

O mais importante, afirma Grieger, é reconhecer que você cometerá erros ao longo do caminho e encontrará circunstâncias que estão fora do seu controle. “Não espere a perfeição de si mesmo. Faça o melhor que puder”, diz.

5. Eles fazem network, network, network

“Networking é a coisa mais importante que você pode fazer”, diz Knaus. “Tem o melhor retorno pelo seu tempo”. Então pense em quem você conhece, quem pode te dar informações internas sobre uma oportunidade de emprego. Quando você é assertivo e proativo, aumenta a possibilidade de aparecer novas chances em seu caminho. Essa não é a hora de ser tímido, esteja visível para o mundo.

6. Eles sempre fazem a lição de casa

Quando você está se preparando para uma entrevista, quanto mais informações você tiver, menor será sua ansiedade. E não estamos falando apenas de checar o perfil no Linkedin do gerente de recrutamento. Ao invés disso, pesquise sobre os negócios e a área de atuação da empresa.

“Use a internet para certificar-se que tem conhecimento sobre a empresa”, diz Knaus. Escreva algumas questões a serem perguntadas ao entrevistador. E encontre os principais problemas da empresa.

Um bom jeito para obter informações é lendo as reclamações online dos clientes. “Sugira meios em que você pode ajudar a resolver esses problemas. Ou exemplifique como você pode adicionar valor à empresa com suas habilidades específicas”, acrescenta Knaus.

7. Eles transmitem confiança, não arrogância

Sim, você quer exibir suas habilidades e realizações, mas sua abordagem pode significar a diferença entre simpático e não-contratável. Então escolha sabiamente suas palavras. Ao invés de dizer “eu sou incrível em aumentar lucros”, use fatos para comprovar. Por exemplo: “ano passado fui líder de um time que aumentou os lucros em 40%”.

Construa um relacionamento com o entrevistador encontrando coisas em comum antes de falar somente sobre si mesmo.

8. Eles aprendem com cada decepção

Na caça por emprego, ninguém tem 100% de aproveitamento. Se você não conseguiu a vaga que tinha certeza que era sua, avalie o que pode ter dado errado e encontre o que pode melhorar no futuro.

Olhe para trás e analise o que aprendeu. Veja se têm algum padrão ou tendência de coisas que pode mudar. Talvez você tenha esquecido de preparar perguntas ou estava pouco qualificado para o trampo. Talvez você tenha ficado nervoso e não se vendeu tão bem quanto poderia. Se você puder identificar suas fraquezas, você poderá melhorá-las e transformá-las em forças para a próxima.

Texto originalmente publicado no site LearnVest por Jane Bianchi.

DEIXE UM COMENTÁRIO