2015-07-21_dismistificando_a_medicatação_cover1

Muitos de nós, leigos no assunto, vemos uma barreira se levantar quando ouvimos essa palavra, mas a prática está muito mais próxima e acessível da gente do que essa imagem idealizada que criamos. Ainda iniciando na meditação descobri questões diferentes daquelas que são abordadas nas matérias midiáticas. Desconstruí tudo que eu pensava a respeito e fui experimentar.

Você não precisa abandonar suas convicções se tem interesse em meditar, pois ela não precisa estar necessariamente atrelada a uma religião.

Não é sobre pensar em “nada”. No primeiro estágio, começamos com a meditação respiratória, nos concentrando na sensação do ar entrando e saindo pelas narinas. A intenção é interromper as distrações e deixar nossa mente mais clara. Depois de familiarizado com o método você pode passar a meditar em um objeto virtuoso, por exemplo: nossa vida humana ou as desvantagens do auto-apreço.

O silêncio não é a personagem principal. Enquanto observa sua mente, irá perceber a agitação mental e terá que deixar o turbilhão de pensamentos passar sem dar atenção a eles. Não adianta estar um um local silencioso se você não conseguir acalmar sua mente, assim como você pode estar rodeado de barulho e abstraí-los.

Os benefícios vão muito além da redução do estresse.

Imagem meramente ilustrativa, mas muito perto da realidade. Foto: reprodução

Imagem meramente ilustrativa, mas muito perto da realidade | Foto: reprodução

Você passa um tempo com você mesmo se conhecendo, olhando pra si, toma uma melhor consciência sobre sua mente e emoções e conforme pratica vai conquistando maior controle emocional, ou pelo menos inicialmente, a percepção dele. Sabe quando aquele nervoso vem e você quer explodir? Então, você entende o que tá acontecendo, não está totalmente fora de si. Você está no controle e isso é ótimo :)

Exige esforço e treino. Pode ser difícil ficar alguns minutos meditando. Na primeira vez que pratiquei foi muito significativo porque estava bastante empenhada e consegui um bom nível de concentração, assim como já teve dias que eu estava mais dispersa e tive que me esforçar mais.

Mas como começar?

Se você tiver interesse em conhecer a filosofia, recomendo aulas de budismo e meditação. Existem várias tradições e a maioria delas são muito receptivas (“todos são bem vindos”) e não necessitam de experiência prévia, como a Nova Tradição Kadampa, que venho estudando.

Ainda há vários vídeos bacanas no YouTube com instruções e métodos.

Continuo praticando, principalmente porque me obrigo a dar uma pausa em um determinado momento do dia, e se eu estava ansiosa consigo ter mais sensibilidade sobre mim e o meu redor/ambiente. Esse processo de autoconhecimento também é questão de treino, assim como se você quiser reprogramar algo em sua mente.

E você, descobriu algo com a meditação? Se você conhece algum lugar para aprender a meditar ou alguma outra forma conta aqui pra gente.

DEIXE UM COMENTÁRIO