“Me realiza saber que meu trabalho pode ajudar nos sonhos dos outros”

tutano-ping-pong-luis-testa

No trampos.co, acreditamos no diálogo aberto entre empresas de um mesmo segmento e, quando se trata da nossa área, não poderia ser diferente. Por isso, convidamos Luís Testa, que passou pelo VAGAS e agora está na Catho, para falar sobre sua paixão genuína por realizar o encontro entre pessoas.

Ele começou na Engenharia, mas preferiu trabalhar com estratégias voltadas às empresas do que entender de máquinas. Depois de passar por agências e abrir a sua própria, ocupou o cargo Head de Marketing e Estratégia nessas duas empresas durante os últimos 11 anos. Como seu combustível é ajudar os outros a construir uma carreira, não saiu mais da área de recrutamento online. Aqui, Testa conta sobre seus aprendizados no mercado de trabalho. Confira o bate-papo:

1. Em que ponto da sua vida você resolveu migrar da Engenharia (sua graduação) para o Marketing (sua especialização)?
Quando eu me formei, já tinha a percepção que a Engenharia não era o que eu queria. Em 1997, entrei para o programa de trainee da Ericsson, fui conhecendo outras áreas e quando cheguei em Marketing despertou meu interesse. E fiz uma pós nessa área. Depois disso, trabalhei em agências e abri a minha própria, quando tive uma experiência empreendedora. Essa migração não foi planejada, mas desde o começo percebi que Engenharia não era a minha área.

2. Como é um dia comum da sua vida?
Minha rotina está bem diferente desde o nascimento do meu filho, em maio. Acordo cedo para trocar fralda, dar banho e tomar café com a minha esposa. Quando chego no escritório verifico e-mails e troco algumas ideias com o time para saber como está o andamento dos projetos. Felizmente, é um trabalho dinâmico, sempre tem uma novidade, o que faz parte do mundo da internet.

3. Como você renova seus desafios diariamente para não se acomodar?
Todo dia tenho um desafio novo. Pra mim, é difícil ficar acomodado. O principal incentivo que eu tenho desses quase 11 anos trabalhando com recrutamento e seleção online é que o meu trabalho e do meu time impacta o dia a dia de diversas pessoas que buscam emprego e das empresas que precisam contratar novas pessoas. Isso me realiza: saber que meu trabalho pode de alguma forma ajudar a melhorar a vida de pessoas, torná-las mais realizadas profissionalmente. É o grande combustível que me faz acordar de manhã e mobilizar o meu time.

4. Qual é o aprendizado mais importante que você conquistou no VAGAS e na Catho?
Comecei a trabalhar com recrutamento em 2004 e foram muitos os aprendizados desde então. As culturas e modelos de gestão são bem diferentes. Enquanto o VAGAS todos têm autonomia, porque é uma empresa que desde o início adotou a autogestão, a Catho é uma empresa mais robusta, com áreas mais estruturas e hierarquia mais definidas. Aprendi muito com essas diferenças. Mas em ambos os desafios são os mesmos: encontrar soluções e ferramentas que consigam fazer o match de pessoas e empresas ser mais eficiente. São experiências muito ricas na minha vida, em cenários bem distintos no mesmo mercado.

5. O que você descobriu sobre as pessoas ao trabalhar em um setor que lida com sonhos e empregabilidade?
Lidar com expectativas é um assunto muito sensível. Em muitos casos, conseguir um emprego é uma questão de sobrevivência. Quando a expectativa do candidato não é atendida, seja em um modelo pago ou gratuito, a insatisfação é natural. Então é um desafio atender essa expectativa e entender o momento delicado. É nosso objetivo ajudar as pessoas a construir uma carreira, conseguir um emprego melhor, já que a vida profissional é um aspecto importante na vida de todos.

6. Como você define sua relação com o trabalho?
É uma relação positiva. Desde que eu estava na operação da minha agência, sempre prezei muito pela qualidade de vida. Nunca viramos a noite ou ficamos trabalhando até tarde. Quando possível, tento trazer esse pensamento para as empresas na qual eu atuo. É uma questão muito importante equilibrar vida pessoal e profissional. Pra mim, é uma relação de complementaridade e assim eu me sinto parte de uma missão que pretende mudar a vida das pessoas.

7. O que é importante no ambiente de trabalho?
Tem que existir respeito, trabalho em equipe. E o fundamental e que torna o ambiente positivo é quando todas as pessoas estão cientes dos motivos pelas quais estão ali: saber qual o propósito e o impacto do trabalho naquela empresa. Quando essa missão está clara, todos se sentem em um mesmo barco.

8. Cite três coisas que você gosta de fazer.
Viajar. Eu e minha esposa já fizemos um mochilão pela América do Sul, conhecemos também a América do Norte, parte da Europa, Austrália e Japão. O contato com culturas diferentes pra mim é o melhor investimento que existe. A segunda coisa é curtir a minha família. Agora com um filho é muito bom ficar com ele e minha esposa em casa. E a terceira é praticar esportes, já joguei futebol amadora, karatê e corrida de rua. Gosto e pretendo fazer de maneira mais intensa.

9. O que te inspira?
Pessoas me inspiram, líderes que fazem diferença. O Mário Kaphan, do VAGAS, pelo empreendedorismo e por construir uma história de sucesso. E na Catho, o CEO Eduardo Thuler, que é uma pessoa sensacional, que tem uma visão de cultura e de pessoas especial. Isso é o que me inspira para que a cada dia eu seja um profissional mais completo.

10. Qual é seu próximo objetivo?
Aprender a ser pai. O Leonardo está com pouco mais de 50 dias de vida. É um desafio e uma nova rotina.

Gostou dessa história? Indique pra gente pessoas que você gostaria de ver por aqui pelo e-mail tutano@trampos.co. Confira outras entrevistas no link.

DEIXE UM COMENTÁRIO