Design sem nome

Trabalhar com arquétipos é fascinante. Desde a faculdade eu, por exemplo, estudei Jung, mas não tão profundamente. Estava menos profundo nos meus estudos de comportamento de consumo, mas a vida vai ensinando que é preciso aprofundar cada dia mais. Foi escutando feras do mercado como meu amigo Alexandre Marquesi, e no trabalho que fiz para Sakura, com meu amigo Rafael Kiso que pude entender mais desse processo. É viciante! Hoje, não faço mais nada sem estudar arquétipos!

Depois, fui ler o livro “O Herói e o Fora-da-lei”, a grande referência da área. Ali entendi que era preciso ir muito mais a fundo para saber como seria trabalhar com arquétipos. E estudo periodicamente esse assunto.

Enquanto eu lia esse livro, a agência Santa Clara me chamou para um projeto. Meu professor, Ulisses Zamboni, CEO da agência é um apaixonado pelo tema e o coloca no processo da agência. Foi ler alguns dos cases da agência, para entender a metodologia e descobrir o arquétipo da Vitacon, um dos projetos mais legais que fiz na minha carreira.

Ok, ok, já falei demais sobre mim!
Mas é importante saber, que a metodologia que eu uso, não foi baseada em um artigo lido ou apenas em um livro, mas sim, em muitos estudos, constantes aprendizados e aplicações, que graças a Deus, foram um sucesso. Depois de 2 anos disso tudo, era hora de “voar solo” então, criei a metodologia, a qual ensino no curso “Arquétipos para Redes Sociais” aqui da Trampos Academy, e modéstia a parte, tem sido um sucesso!

E meu vôo solo, aqui na FM CONSULTORIA, já criamos posicionamentos de marcas para como Beauty In, Amíssima, Officer, Cheisi Farmacêutica, Mosaic Fertilizantes, HZ Eventos, Escola WunderWelt A, Águas de Manaus, Ramsons entre outros, que nesse momento estão em andamento. Tudo baseado nessa metodologia, claro!

 

Veja também:

» Benefícios dos cursos livres em seu currículo

» Como convencer seu chefe a pagar um curso

 

Ok, mas fala logo a metodologia, pô!
Basicamente, nós usamos 5 pontos para realizar a pesquisa e achar o, ou os, arquétipo(s) da marca. Trabalhe sempre 2, no máximo, sendo um o dominante, ok?

É preciso entender que você fará muita pesquisa. Se quiser apenas ler os 12 tipos de arquétipos, unir com as marcas que já usam cada um e achar o arquétipo da sua marca, fique à vontade, existem diversos sites que abordam esse tema, alguns mais profundos, outros de forma mais rasa, mas se quer um conselho, a melhor fonte são pessoas que estão envolvidas com a marca, tanto de dentro, como de fora. Essas vão lhe dar 90% da certeza. A literatura, extremamente necessária, os outros 10%.

Pesquisa imersão
Na FM CONSULTORIA chamamos de “Razão da marca”. Quanto mais você entender a marca, melhor. Converse do CEO ao faxineiro, do departamento financeiro ao comercial, do marketing ao time de vendas. Quanto mais pessoas, de mais departamentos, você conversar, mais insights você vai ter. Foque em conhecer tudo, pois é o todo que fará você achar o arquétipo e não apenas o questionário abaixo.

Pesquisa com pessoas
Na FM CONSULTORIA chamamos de “Voz das ruas”. Converse no ponto de venda, na internet, via email, via Redes Sociais. Converse com o maior número de pessoas. Se puder ligar para uns 10 ou 20, melhor. Converse com quem ama a marca, com quem odeia, com quem gosta, com quem compra. Converse com quem influencia, com quem usa, com quem paga. Converse! E de novo, é o todo que vai te mostrar o resultado.

Pergunta-chave
Em ambas as pesquisas, você deverá fazer uma série de perguntas, pertinentes a cada marca, mas uma pesquisa é chave para o arquétipo. Deve ser feita a mesma pergunta nas duas pesquisas, imersão (dentro da empresa) e ruas (fora da empresa). Peça para que as pessoas marque um ou duas, das palavras-abaixo que representem a marca. Apresente apenas essas 12 palavras para os entrevistados.

1. Otimista
2. Conhecimento
3. Desafiadora
4. Foge as regras
5. Não pensa no impossível
6. Vitória
7. Romântica
8. Divertida
9. Pertencer
10. Confiança
11. Controladora
12. Deixar legado

Depois, você analisa o percentual de cada um, junto a um gabarito, que só você tem. Claramente, um dos 12 pontos acima vai se destacar frente aos outros. Virá um 2o com mais força e depois os outros terão percentuais menores. Pode haver empate? Sim, para isso, você precisa tomar uma decisão baseada em outros estudos de quais seguir.

Não tem a menor necessidade de apresentar a lista abaixo nas pesquisas, pois as pessoas não saberão dizer com precisão se a sua marca é prestativa ou governante. É mais fácil dizer que representa diversão ou confiança.

1. Inocente
2. Sábio
3. Explorador
4. Fora da lei
5. Mago
6. Herói
7. Amante
8. Bobo da Corte
9. Pessoa Comum
10. Prestativo
11. Governante
12. Criador

O gabarito é simples. As perguntas de cima, com as respostas de baixo. 1 corresponde ao 1, o 2 ao 2, o 8 ao 8. Você entendeu, né? Otimista, é o arquétipo do Inocente. Conhecimento é o arquétipo do sábio e o Divertido é o Bobo da Corte. Simples assim.

Só isso?
Claro que não!!!
No curso, você vai ver de forma mais profunda como pesquisar, entretanto, o que você fez acima foi entender, dentro de pesquisa com as pessoas envolta da marca, qual o arquétipo melhor representa. Mas o que é, em definição o arquétipo Bobo da Corte? Otimista? Governante? Amante? Para isso, entra algo de muita importância: estudo acadêmico! Sim, você vai precisar ler livros! Olha que coisa interessante! O livro lhe dá uma visão de aprofundamento que o artigo de 1.000 palavras com regras de SEO não dá!

Ufa. Acabou…
Claro que não!!!
Vamos supor que 42% das pessoas responderam que a sua marca é Amante, 18% responderam que é Mago e os outros 40% ficaram entre as somas dos outros 10 arquétipos. Aqui está claro, o arquétipo dominante é o Amante e o secundário é o Mago. Você poderá trabalhar os dois, mas os esforços serão maiores no mago.

Você vai precisar listar, pelo menos 10 marcas, que trabalham com o Amante como arquétipo. Vou dar uma dica, as marcas de moda, na sua intensa maioria são Amantes. Como a Tiffany trabalha a sua comunicação? A Chanel? Gucci? Liste as marcas e mostre a linha de comunicação de cada uma. Mas não é só colocar o print da campanha que você viu no Google no slide. Faça uma análise! Mostre inteligência.

Agora está pronto?
Quase…
Das 10 marcas citadas acima e some com 3 ou 4 marcas concorrentes diretos. Esses concorrente podem estar na lista acima, mas eu aconselho não estar, pois acima é benchmark, referência, informação e concorrência é a briga direta. Entenda o posicionamento de marca de cada uma, tanto de mercado como de comunicação, esse mais simples, pode ser analisado no slogan. De novo, nada de print no slide. Analise!

Mais alguma coisa?
Por hora, apenas estude muito para achar o arquétipo. Saia do achismo, estratégia não tem achismo, tem certezas embasadas!

 

Curso de Arquétipos para as Redes Sociais

Você sabia que 95% das decisões humanas são subconscientes?

O marketing eficiente é aquele que atinge o subconsciente das pessoas, através de sensações, símbolos, cores, aromas e palavras, que estimulem o cérebro. O segredo disso são as linguagens arquetípicas.

Ministrante
Felipe Morais
Sócio diretor da FM CONSULTORIA

DEIXE UM COMENTÁRIO