Guia de Profissões: Cientista de Dados

Guia de Profissões: Cientista de Dados

Na era da internet, o que não falta são dados. Temos ao nosso dispor todos as informações sobre nossos públicos, sobre a concorrência, tendências de mercados e muito mais. Mas o que podemos fazer com tudo isso?

Leia também:
» Guia de Profissões: DevOps
» Infográfico: como é o mercado de desenvolvimento no Brasil?
» Dicas para contratar os primeiros desenvolvedores em uma startup

É função do(a) Cientista de Dados (também conhecido como Data Scientist) reconhecer insights preciosos para negócios e interpretá-los em meio a esse oceano de informações.

 

O QUE FAZ?

O(a) Cientista de Dados é quem utiliza a inteligência de dados, Big Data e aprendizado de máquina para produzir análises detalhadas sobre comportamento de usuários, modelos estatísticos, fontes de dados e outras questões estratégicas. O levantamento desses dados gera insights de novos produtos e visões, análises de marketing/negócios obtidas no Google Analytics e para encontrar fraudes ou anomalias em operações de negócios.

Entre suas atribuições estão produzir modelos estatísticos e preditivos, aplicar técnicas de agrupamento e classificação, produzir (ou recomendar) algoritmos e explorar dados. Para isso, é necessário que ele(a) compreenda profundamente todo o funcionamento, estratégia, problemas e necessidades internos para produzir relatórios e análises complexas de acordo com os resultados esperados.

 

 

QUANTO GANHA?

Segundo dados de vagas publicadas no trampos.co, um(a) Cientista de Dados ganha, em média, uma faixa salarial que pode ir de R$ 5.500 a R$ 8.000, podendo chegar a R$ 12.000 para cargos de nível Sênior, em grandes empresas nacionais ou multinacionais.

 

PERFIL E CARACTERÍSTICAS DO PROFISSIONAL

É essencial que este(a) profissional tenha conhecimento em desenvolvimento e utilização de algoritmos, Big Data, modelos matemáticos e Machine Learning. Ele(a) também precisa ser capaz de consultar bancos com enormes quantidades de dados, realizar análises estatísticas, criar protótipos e modelos,  gerir dados em larga escala de análise, sistemas, fluxos de trabalho, aplicar melhores práticas e outras questões.

Alguns dos conhecimentos técnicos mais requisitados são:

  • Python, C++, R;
  • MySQL, MongoDB, Hadoop, ElasticSearch;
  • Redis Linux, GitHub, AWS;
  • Técnicas de Information Retrieval e Estatística (Bayes, Markov Chain, etc.);
  • Sistemas de recomendação como Recomendação Recíproca, Multi-Armed Bandit, entre outros;
  • Machine Learning (SVM, Deep Learning, Azure Machine Learning, Amazon Machine Learning, etc.)

O(a) Cientista de Dados também precisa dominar modelagem conceitual, análise estatística, modelagem preditiva, ferramentas estatísticas e de mineração de dados e ter inglês avançado ou fluente. Geralmente, este(a) profissional tem formação nas áreas de Matemática, Estatística, Engenharia, Tecnologia ou Computação.

Para profissionais que almejam trabalhar em agências, são diferenciais ter conhecimentos em Business Intelligence, mídia programática, AdTech (AdServer, DSP, SSP, DMP), entre outros. 

 

MERCADO DE TRABALHO

Como mencionado, vivemos um momento de fluxo intenso de dados. Isso fez com que Big Data se tornasse necessário para tomar decisões estratégicas de negócio. E quem mais para adquirir e interpretar uma quantidade absurda de dados? Por esse e outros motivos, Cientista de Dados foi considerada a profissão mais “sexy” do século 21, segundo o Harvard Business Review.

Esta profissão vem crescendo de forma exponencial no Brasil e em todo o mundo, mas ainda é muito rara. A alta demanda por esses profissionais, que tem formações tão específicas, também é a causa das boas remunerações do cargo. 

Confira todas as vagas na área

DEIXE UM COMENTÁRIO