2015-10-07_custo-funcionarios-infelizes

Funcionários desmotivados podem ferir o resultado da sua empresa? Sim, e a prova está nos números. Apesar da certeza de que a felicidade no local de trabalho afeta desde a cultura organizacional até a produtividade em geral, muitos ainda não entendem o quanto os funcionários infelizes podem impactar em cada aspecto do seu negócio.

Leia também:
» As melhores práticas para lidar com funcionários descontentes
» 7 coisas que pessoas felizes fazem frequentemente
» 4 segredos baseados em pesquisas para atrair boa sorte

Confira o infográfico para saber mais sobre o alto custo dos funcionários infelizes e leia mais logo abaixo.

O custo de funcionários infelizes. | tutano

De acordo com um estudo de 2013 estudo da Gallup, sete de cada dez trabalhadores nos EUA dizem não estarem completamente engajados com o trabalho, o que significa que eles não estão trabalhando ao máximo dos seus potenciais. A resultante perda de produtividade pode custar às empresas entre $450-500 bilhões por ano. E mais: de acordo com pesquisa do Instituto Dale Carnegie, 80% dos funcionários que não estão felizes com seus supervisores afirmam que estão desmotivados e, portanto, menos produtivos.

O custo de funcionários infelizes

Da mesma forma, um estudo feito pela Leadership IQ mostra que 46% dos novos contratados saem ou são demitidos, nos primeiros 18 meses de emprego. E 89% pede as contas por não se encaixarem à cultura da empresa. Perda de funcionários significa perda de receita e a Society for Human Resource Management (SHRM) estima que os custos com rotatividade podem ser de até 300% do salário base do funcionário demitido.

Por outro lado, SHRM relata que funcionários satisfeitos performam 20% melhor do que os insatisfeitos. Além disso, a probabilidade deles trocarem de empresa é 87% menor. Do mesmo modo, o Instituto Dale Carnegie descobriu que empresas com funcionários engajados e satisfeitos podem ultrapassar seus competidores em 202%. O Harvard Business Review também indica que funcionários contentes tem aumento de 31% em produtividade. Eles geram 37% mais vendas e são três vezes mais criativos do que os desmotivados.

A boa notícia

Nem todo mundo está infeliz com sua carreira ou local de trabalho. De acordo com a Gallup, 30 milhões de funcionários dizem estarem felizes e engajados com o trabalho. Sem surpresas, estudos mostram que esses funcionários satisfeitos demonstram muita energia empreendedora e, também, criam as ideias mais inovadoras. Um funcionário feliz é mais saudável, o que significa menores custos com planos de saúde e a pesquisa descobriu que trabalhadores engajados têm 50% menos acidentes.

Enquanto as empresas procuram maneiras de se construir um ambiente feliz de trabalho, muitos departamentos de RH estão prestando mais atenção ao processo de seleção para garantirem que a novas contratações se adaptem à cultura da empresa. Mas não é preciso um infográfico para entender que os funcionários precisam ser apreciados. Em uma pesquisa realizada pela Workforce Mood Tracker, 69% dos funcionários disseram que trabalhariam mais caso a empresa reconhecesse suas conquistas.

A cultura organizacional

Empregadores experientes estão se atentando às necessidades pessoais dos seus funcionários. Por exemplo, Net Impact descobriu que 88% dos funcionários pesquisados acreditam que é crucial terem um equilíbrio entre vida e trabalho, assim como uma atmosfera positiva no local de trabalho. Em estudo feito pelo Jobsite UK, 70% dos funcionários pesquisados dizem que cultivar amizades no trabalho geram influências positivas em sua produtividade e felicidade.

O que tudo isso tem a dizer sobre a autoestima dos funcionários e sobre como isso afeta a produtividade? Muito, de acordo com as estatísticas. Essa é a razão pela qual donos de negócios estão prestando mais atenção ao conceito de criação de uma cultura organizacional/clima no ambiente de trabalho que é propícia à satisfação geral do funcionário. A implementação dessas mudanças pode custar tempo e dinheiro mas o retorno pode ser inestimável, não só em termos de retenção de funcionários, mas em produtividade e lucro.

Texto e infográfico originalmente publicados no site Good.co. Traduzido e adaptado pela equipe do Tutano.

Fontes:
Positive Intelligence
Consequences of Individual’s Fit at Work
Why New Hires Fail (Emotional Intelligence Vs. Skills)
The Impact of Recognition on Employee Retention
Measuring and Mitigating the Cost of Employee Turnover
State of the American Workplace
Engaging Employees: What Drives Employee Engagement and Why It Matters
New research reveals job satisfaction is determined by our work colleagues
Beyond Engagement – Towers Watson

Podemos te ajudar a encontrar os melhores profissionais

Divulgue, Gerencie, Contrate. Conheça nossa plataforma de publicação de vagas e encontre o candidato ideal.

DEIXE UM COMENTÁRIO