7 bons motivos para largar mão do e-mail nos seus processos de recrutamento e seleção

7 bons motivos para não receber currículo por email | tutano

Muitos processos seletivos para contratação de novos colaboradores ainda são realizados por e-mail. Afinal, ele é prático, estabelece um ponto de contato de certa forma “confiável”, e concentra todas as informações importantes do trabalho, desde contas até conversas e negociações. Então, nada mais natural do que acompanhar candidaturas e etapas por lá… certo?

Leia também:
» 10 maiores erros que você provavelmente comete ao usar e-mail
» Ferramenta de recrutamento facilita o recebimento de candidaturas
» 10 motivos para divulgar suas vagas no trampos.co

Justamente pelo e-mail ser “onde moram todas as coisas”, é que ele deve ser evitado a todo custo para este propósito. E tenho aqui 7 bons motivos para abandonar o recebimento de currículo por email nos processos de recrutamento e seleção da sua empresa.

 

1. Bagunça na caixa de entrada

De nada adianta ter um lugar que concentra todas as informações importantes da sua empresa ou essenciais ao seu trabalho se não são facilmente acessíveis.

Utilizando o e-mail, cada candidatura significa um novo e-mail na sua caixa. Então, para 500 candidaturas, 500 e-mails. O que pode significar uma bagunça tremenda e dificuldade adicional para um procedimento que já não é simples, que é a contratação de novos profissionais.

Mesmo com todos os recursos de filtros, marcadores e pastas, o espaço ocupado e a impossibilidade de limpar estes e-mails antes do fim do processo pode ser atordoante – além do risco de perder para sempre um contato interessante de um candidato ideal.

 

2. Problemas de entregabilidade

O e-mail pode até ser um excelente meio de contato: confiável, prático e acessível. Mas, infelizmente, ainda é passível de erros.

Caixas de entrada cheias demais para receber e-mails, problemas no servidor no momento da entrega, falta de conexão e outros problemas podem impossibilitar a continuidade de uma conversa entre você e o candidato perfeito. E atrasar o processo seletivo em vários dias.

Para prevenir este problema, é preciso que o e-mail seja UM ponto de contato, não o único. O que nos leva ao próximo problema.

 

3. E-mail se torna o único ponto de contato

Com o e-mail, você só tem acesso às informações que o candidato dividir com você no CV ou, caso solicitado, em contatos posteriores que tiver com ele – caso hajam. Desta forma, você só terá acesso ao telefone, celular, telefone para recados, redes sociais, endereço e tudo mais, caso o profissional forneça-os de alguma forma.

Em caso de erros, como o de entregabilidade mencionado acima, você fica refém dos servidores de e-mail para chegar até o candidato – podendo perder bons contatos por conta disto.

Em plataformas de gerenciamento de candidaturas, é possível acessar todos os dados inseridos pelo candidato, sem a necessidade que ele os informe a cada vez, para todas as vagas que se candidatar, garantindo um contato mais certeiro entre recrutadores e profissionais.

 

4. Gerenciar diferentes etapas de seleção se torna uma missão impossível

Você até pode colocar candidatos de diferentes etapas em diferentes pastas ou marcadores. Mas, a categorização com o nome “entrevista” quer dizer candidatos que já foram convocados para entrevista, ou que deverão ser chamados?

As confusões se agravam quando mais de uma pessoa é responsável pelo processo seletivo. Afinal de contas, fica difícil gerenciar quem colocou cada profissional ali, e validar se a escolha foi certeira ou não, dificultando a comunicação.

5. Processos seletivos realizados por mais de um profissional geram retrabalho

As alternativas de colaboração em processos seletivos gerenciados por e-mail são reduzidas. Ou configura-se o recebimento de e-mail para mais de um e-mail, ou cria-se um e-mail novo para cada processo seletivo.

Os problemas da primeira opção envolvem problemas de entregabilidade mencionados acima, além de gerar retrabalho (duas ou mais pessoas selecionando e eliminando simultaneamente) e dificultar a resolução de discordâncias em relação à posição dos candidatos no processo – pois os recrutadores não estão, literalmente e figurativamente, na mesma página.

Não preciso nem falar do trabalho de criar um e-mail para cada novo processo seletivo – além dos problemas de segurança criados ao se compartilhar senhas de e-mail que contêm os únicos contatos com os profissionais que procura.

 

6. E o feedback, fica como?

Quem já passou por um processo seletivo sabe o quanto é chato não receber qualquer resposta sobre sua qualificação – ou não. Estar desempregado ou buscando novas oportunidades para crescer na carreira é angustiante, além de um momento extremamente delicado.

Já falamos sobre a importância de um bom feedback aqui

Porém, quando todo o processo é difícil de gerenciar, acontece uma das duas coisas: 1) o feedback é generalista, na esperança de meramente avisar os selecionados que passaram para a próxima fase – e os demais, não; ou 2) o feedback simplesmente não existe.

Qualquer uma dessas opções pode piorar a imagem que profissionais têm da sua empresa. Afinal, o mínimo que podem esperar é uma resposta – positiva ou negativa – em relação ao seu posicionamento no processo.

 

7. Não oferece nenhuma função específica para processos seletivos

No resumo, o e-mail não só não ajuda nos processos de recrutamento e seleção, como atrapalha. Sem nenhuma função específica de gestão, organização, seleção e contato, a única possibilidade é incorporar a Marie Kondo e administrar com exatidão todas essas demandas que forem surgindo – e torcer para que nada se perca no caminho.

… a menos que você opte por uma plataforma especializada de recebimento e gestão de candidaturas.

 

Por que utilizar uma plataforma de gestão de candidaturas?

Resumidamente, plataformas de recebimento e gestão de candidaturas, como o Caesar, aqui do trampos, trazem soluções para todos os problemas mencionados acima. E, é claro, oferecem funcionalidades que atendem de forma específica às necessidades de recrutadores e profissionais de RH, como:

– Anotações para validar e confirmar etapas de contato;
– Destaque para prós e contras de candidatos;
– Automação de feedbacks para cada etapa da contratação;
– Abas para cada etapa de contratação – sem confusão nem bagunça;
– Acesso a todas as informações de contato disponíveis no perfil do candidato;
– Não dependem da disponibilidade do provedor de e-mail ou de caixas de entrada vazias;
– Possibilidade de adicionar um número ilimitado de gestores ao projeto – de forma organizada;
– Exportação de CVs para ter sempre em mãos os currículos e contatos de quem mais gostou;
– E muitas outras funções ilimitadas para você!

Então, vamos deixar para o e-mail o que ele faz de melhor: conversas, negociações, agendamento de reuniões e outras soluções. Para seus processos seletivos, utilize uma ferramenta que atenda às suas necessidades e facilite o seu trabalho.

 

O Caesar, sistema de gerenciamento de candidaturas do trampos.co, já está incluso na divulgação das oportunidades em aberto na sua empresa. Agora, você não tem mais desculpa para experimentá-la na sua próxima contratação!

caesar-screenshot

O trampos.co é uma plataforma de divulgação de vagas com foco nas áreas de Comunicação e Tecnologia, com mais de 2.000.000 de acessos mensais, 300.000 profissionais cadastrados e 4.000 empresas divulgando suas vagas. Temos o que você precisa para não só encontrar os profissionais que procura, como para facilitar os processos de seleção.

Faça o teste e comprove!

Divulgue, Gerencie, Contrate. Conheça nossa plataforma de publicação de vagas e encontre o candidato ideal.

DEIXE UM COMENTÁRIO