Como colocar a criatividade em prática no trabalho?

2015-09-04_creatividade_no_trabalho1

Muitas pessoas enxergam a criatividade como um dom, algo que deve nascer com você para que seja colocada em prática. Mas já se sabe que a criatividade trata-se de um mind set, ou seja, uma postura mental que você pode adquirir, treinar e desenvolver cada vez mais.

Profissionais do mercado de publicidade, em geral, concordam que quem trabalha com criação diariamente não pode usar a desculpa de crise criativa. É preciso suar a camisa mesmo.

Colocar a criatividade em prática requer beber de diversas fontes, o que é uma excelente notícia para quem gosta de estudar assuntos das suas áreas de atuação e de outros campos (“seja uma espoja”, já falamos da importância disso neste infográfico).

2015-09-04_creatividade_no_trabalho

Qual é o caminho?

A criatividade é uma linha de raciocínio, mas para ela funcionar você deve ter um bom repertório e conhecimentos prévios variados que vão se mesclar e se transformar em ideias. Para iniciar o processo criativo no trabalho, umas das melhores formas é fazer o famoso brainstorm em cima de um conceito ou problema a ser resolvido. Isso pode ser feito tanto em grupo quanto individualmente para gerar projetos pessoais ou tarefas em que você atua sozinho. Devemos seguir esse fluxo:

Descoberta

É o processo de geração de ideias aleatórias. O que importa aqui é o volume: quanto mais, melhor. E nessa hora não existe ideia ruim, portanto, fale tudo o que vier à mente.

Definições

Em cima das ideias geradas, devemos questionar a sua aplicabilidade, sua viabilidade técnica, estrutural e financeira. Lembre-se de que ter ideias é fácil, fazê-las sair do papel é que é o grande lance.

Desenvolvimento

Após a definição do potencial de algumas ideias, devemos percorrer alguns caminhos dentro de cada uma delas. Fazendo isso, poderemos avaliar qual delas é a que melhor soluciona a necessidade.

Entrega

Com a melhor ideia estruturada, é hora de colocá-la em prática, inicialmente em um ambiente de teste. Afinal, como já diz a máxima: “it’s not about ideas, it’s about execution”.

Lembre-se de anotar tudo isso, seja em um app ou no papel mesmo (que deve lhe acompanhar durante todo o percurso). Tirar as ideias da cabeça é essencial para que outras possam surgir.

Da criatividade para a inovação

Diferente do que se pensa, criatividade e inovação são coisas diferentes. Na verdade, a inovação deriva do processo criativo. Depois de testar a sua ideia, é preciso criar um plano de implementação. Nessa hora, pode parecer que você não está sendo criativo, mas faz parte do processo ser um pouco mais prático e estabelecer como ela será aplicada de fato. Caso ela solucione problemas ou quebre paradigmas, você teve uma ideia criativa.

É importante lembrar que nem sempre uma inovação será resultado de uma ideia 100% original. Ela pode vir por meio da derivação de outra previamente concebida, mas com melhorias pontuais que otimizem algum aspecto dela.

Um bom exemplo disso atualmente é o Uber. O transporte particular e os aplicativos de táxi já existiam, mas ao analisar que de um lado há um serviço restrito e relativamente caro, e do outro um modelo de transporte com falhas na qualidade, o Uber surgiu. Quando esses dois pontos foram unificados com melhorias, criou-se um serviço inovador e que solucionou um problema real — ainda que agora gere polêmicas e encontre desafios na legislação.

Claro que é muito mais fácil falar do que fazer, mas, como apontamos, a criatividade é uma linha de pensamento que precisa ser colocada em prática no dia a dia, exercitada e alimentada sempre com todo tipo de conhecimento.

Como você faz para ser mais criativo no trabalho? Compartilhe com a gente as suas experiências.

DEIXE UM COMENTÁRIO